sábado, 26 de fevereiro de 2011

eu tinha a guerra, mas tinha o escudo.


          O convite estava em minhas mãos, sim, representaria a pátria feminina no exército. A minha resposta estava certa, as malas estavam prontas, em frente a porta. Prestes a serem conduzidas ao aeroporto. Meu coração apertava, e apertou ainda mais quando olhei pra pequena brinquedoteca, que havia ao lado esquerdo da sala de minha casa. Lá estava ela, minha princesa Anny, uma boneca linda de 3 anos de idade. O motivo que poderia me fazer recusar esse convite único, só poderia ser ela. Porém, eu o aceitei, seria muito importante pra mim.
            Anny e Tom , os meus grandes amores me levariam ao aeroporto. Peguei a pequena no colo, e tom saiu carregando minhas malas. Segui, e a cada minuto estava ainda mais longe de minha casa - pra uma viagem, longa, talvez até mais longa que tudo.
               Chegamos ao aeroporto 1 hora antes do voo partir, e foi ali que eu aproveitei os ultimos momentos ao lado de minha princesa, tentava guardar todas as suas risadas, as suas palavras mal faladas, os seus pequenos passos com tombos, tudo. Assim como de Tom eu guardava todas as frases de carinho, os abraços, os beijos. Também as diversas vezes que ele me olhava e falava: seja guerreira, lute de verdade. Não se esqueça que estaremos aqui te esperando, anciosamente. A hora se aproximava, meu coração ia se apertando, e eu sentia que as lágrimas vinham junto com cada minuto que se passava. Até que o microfone alertou: Passageiros do voo , 152 - digiram-se a area de embarque.
          Meu coração desparou, estava na hora da despedida. Teria minha filha longe de mim, mas também daria a ela, um motivo pra senti orgulho da mãe que tem. Foi então que me abaixei e fiquei observando seus pequenos passos vindo ao meu encontro, então abraçei-a forte. Lágrimas cairam, e eu abraçava cada vez mais forte, sentindo seus cabelinhos lisos. Ela não sorria e nem chorava, apenas me olhava - com um olhinho de mamãe, fica. E eu respondia com um olhar que ela entendia: estou indo filha, mais eu volto. E como uma guerreira, você se orgulhará de mim. Lutarei por você, porque eu há amo. Escudo, porto seguro. E então, eu parti - sem olhar pra trás, pois não suportaria vê-los me olhando ir. Parti certa de que aquela viajem, mudaria minha vida. Aliás, foi o que aconteceu.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Da ficção, pra minha realidade.

          Sei que cheguei muito rápido em tua vida, e mais rápido ainda foi este amor que surgiu dentro de mim, e está prestes a ser entegue totalmente e fielmente a ti. Sei que o teu jeito não lhe pemite de acreditar em amor eterno, muito menos em amor a primeira vista, eu também não acreditava muito nisso, admito. Talvez a forma com que eu pense mudou depois de te ver. Eu começei a acreditar em amor a primeira vista, e que principes encatados podem sim aparecer e salvar a princesa de todos os problemas, e ainda no final da história levá-la para um castelo, onde ali serão felizes para sempre. Sim, pode parecer chichê mas eu to acreditando nisso. E pretendo continuar acreditando, até que você me dê motivos contrários a isso, coisa que eu não espero que aconteção, não, não mesmo.
      Sei que muitas outras meninas apareceram na tua vida, talvez nenhuma delas tenha lhe dado tamanho amor , tanto quanto esse que eu tenho pra lhe dar. Eu digo pra você posso garantir a qualquer momento que eu sou a garota com a melhor das intenções. A de te fazer feliz, a de ficar junto a tí, a de proporciona a você momentos perfeitos e inesquecíveis. Acredite nas minhas intenções, e me retribua tamanho amor. Eu até aceitaria que fosse pouco,mas que fosse amor - porém acima de tudo, que fosse verdadeiro. Deixo isso bem claro, me ame - mas me ame de verdade. E assim, ficaremos juntos, viveremos juntos. O principe, a princesa e o Castelo que os espera no final da estrada da felicidade. E a histórinha antiga que poucos acreditam, se tornaria a pura realidade pra mim. Pra você, e pra nós.

Explicação.

Pessoas lindas do meu coração. Venho pedir desculpa por estar tão afastada do blog, e também de vocês. Sei que não ando muito visível por aqui, comento cada vez menos no blog de vocês, e me sinto mal com isso. As aulas voltaram porisso o tempo está mais curto, e nem sempre dá pra entrar. Sempre ando lendo uns textos, umas postagens que TODAS são sempre muito lindas, porém nem sempre eu comento. Perdoem-me pela ausência, estarei tentando voltar de pouco em pouco para dar a atenção que vocês realmente merecem. Prometo que tentarei responder a todos os comentários, e agradeço por todos os selinhos que me mandam mesmo eu não merecendo tanto assim.
EU AMO TODOS VOCÊS QUE ME SEGUEM, QUE ACOMPANHAM MINHAS POSTAGENS E COMENTAM. OBRIGADO POR TUDO. s2

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

“Suspiro tanto quando penso em você, chorar só choro às vezes, e é tão freqüente. Caminho mais devagar, certo que na próxima esquina, quem sabe… Não tenho tido muito tempo ultimamente, mas penso tanto em você que na hora de dormir vez em quando até sorrio e fico passando a ponta do meu dedo no lóbulo da sua orelha e repito repito em voz baixa te amo tanto dorme com os anjos. Mas depois sou eu quem dorme e sonha (…).”

"Uma dose de amnésia, e duas de desapego por favor."